O título do livro anuncia que a pesquisa articula, de forma criativa, os dois sentidos da palavra “clichê”, de origem francesa: o primeiro, o processo técnico de impressão de imagens e textos por chapas tipográficas na imprensa; o segundo, estereótipos generalizantes, geralmente expressando racismo, machismo ou xenofobia. Por meio do exame mais particularizado da trajetória do jornal O Rio Nu (1898-1916) e de outros jornais de circulação efêmera no Rio de Janeiro, no período chamado de Belle Époque Tropical (Jeffrey Needell), o livro busca situar a imprensa de teor humorístico e erótico no quadro geral de uma cultura imagética e de entretenimento da mesma época. O estudo fundamenta-se num extenso e variado repertório de fontes, incluindo as imagens e as faixas musicais da época – as quais são, hoje, muito mais acessíveis graças às ferramentas digitais disponíveis, constituindo um manancial importante, sobretudo, para desenvolver um dos argumentos centrais do livro:...

You do not currently have access to this content.