Ao direcionar o foco da pesquisa sobre os povos indígenas, entendendo-os como agentes históricos, cujas ações e interações eram motivadas por interesses próprios relacionados à dinâmica de suas características socioculturais, em diferentes temporalidades, Cecilia Martínez desenvolve instigante e complexa análise etno-histórica da Chiquitania e de seus povos, indo “além do horizonte jesuítico”. Seu objetivo é questionar a ideia predominante nos estudos sobre a região de que a história e identidade dos chiquitos explicam-se, simplesmente, a partir do seu processo de ressocialização nas aldeias missionárias. Sem desconsiderar o peso desse período histórico que teve influência decisiva nas reelaborações culturais, identitárias e sociopolíticas dos povos reduzidos, a autora demonstra o reducionismo dessa perspectiva por não levar em conta outros fatores que emergem de sua pesquisa como essenciais para a compreensão das identidades e trajetórias desses povos. As características socioculturais dos próprios índios e o...

You do not currently have access to this content.